15 de out de 2012

Identidade cultural e preservação do Idioma Nacional

"A nação é uma resultante de agente histórica. O índio, o negro, o jesuíta, o tropeiro, o poeta, o fazendeiro, o português, francês, espanhol, italiano ou alemão, os rios, as montanhas, a mineração, o café, os oito milhões de metros quadrados... "Temos que aceitar todos estes fatores ou destruir a nacionalidade, pelo estabelecimento de diferenças.
Deve-se preservar de forma inteligente, sem patriotadas, mas com objetividade, no sentido de valorizar o idioma de Machado de Assis e Fernando Pessoa. Se a nossa pátria é totalmente priorizada a língua portuguesa, porque não prevalecer, pois, algumas mudanças interferem no crescimento e despencam as prioridades, sendo assim, não prioriza muitos fatores como a estabilidade de um bom governo – que deve sempre investir em uma educação de qualidade que deveria ser priorizada.
 O idioma português é uma cicatriz deixada pelos “colonizadores”, mas se o brasileiro nato não se orgulhar, ou simplesmente não se contentar com esse fato que não mudará diminuirá o rendimento, ou seja, acabará com a língua.
 Logo se conclui que o esforço de grandes poetas, e mais tarde críticos que lançaram seus esforços em uma gramática extremamente critica serão minimizados em frente a esta desvalorização da população. Se a sociedade não valorizar o próprio idioma e o próprio país, ninguém o fará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário